No detalhe e sem Tandara, Rio vence Osasco no maior clássico brasileiro da Superliga

Com nova lesão no abdômen, Tandara ficou de fora e foi homenageada pelo recorde batido; vitória por 3 sets a 1 mantém o Sesc RJ na vice-liderança da Superliga

Um dos maiores clássicos do voleibol nacional, Sesc RJ e Osasco se enfrentaram nesta terça (11), no ginásio do Tijuca Tênis Clube, em partida válida pela Superliga Feminina de Vôlei. Melhor para as donas da casa, que venceram por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 23/25, 25/20 e 25/23. A ponteira Amanda levou o troféu Viva Vôlei de melhor atleta em quadra.

A equipe carioca não pode contar com a oposta Tandara, principal reforço da equipe para a temporada. No fim da tarde foi divulgada a notícia de que a atleta sentiu dores no abdômen e não entraria em quadra.

Leia mais: Jogando em casa, Fluminense perde para o Itambé/Minas por 3 sets a 0

O triunfo mantém as cariocas na vice-liderança do campeonato, agora com 45 pontos, em 16 vitórias e apenas uma derrota. O Osasco é o quarto colocado, com 35 pontos. Equipe acumula 13 vitórias e quatro derrotas.

Tandara homenageada

Mesmo de fora por conta da lesão, a oposta Tandara recebeu uma homenagem do Sesc RJ antes do início da partida. Com uma camisa com seu nome e com o número 40, Tandara foi ovacionada pela torcida presente no Tijuca Tênis Clube. Na final da Copa Brasil Tandara bateu o recorde brasileiro, anotando 40 pontos em uma só partida.

A levantadora Fabíola, comandante das ações cariocas, comentou sobre o que faz a diferença num jogo desse porte.

“O número de erros. A quantidade de erros faz a diferença. No momento crucial do set, quem errar menos num clássico como esse vence”, analisou a levantadora. Fabíola também falou sobre a torcida que lotou o ginásio do Tijuca Tênis Clube.

“A torcida aqui é sensacional. É um jogador a mais. Independentemente de como a gente esteja, estão sempre nos apoiando e isso ajuda muito. É muito prazeroso jogar em casa com a torcida a favor”, finalizou.

A oposta Tandara, lesionada, também conversou rapidamente com nossa reportagem.

“Estamos acompanhando, mas já já estou de volta. Agora é descansar pra, lá na frente, estar bem”, declarou a oposta.

O jogo

O clássico começou como esperado: nervoso e equilibrado. Logo as equipes estavam iguais em cinco pontos, mas ‘ace’ de Milka e contra-ataque na sequência, deixou o Rio com vantagem de 11/07 e forçando parada técnica de Luizomar de Moura. A parcial seguiu em equilíbrio, com muitas ações pelo centro da quadra no lado de Osasco e pelas extremidades, pelo Rio. Roberta marcou um ponto de saque que deixou Osasco à frente do set em 17/19, mas o Rio se recuperou e contou com ataques de Yonkaira e ‘ace’ de Fabíola para fechar em 25/23.

A segunda parcial veio diferente. Com muita pressão de saque, Osasco logo abriu 7/2 e manteve a vantagem durante a parcial. Entretanto, o Sesc RJ tentou se recuperar no final e, em ace de Drussyla, diminuiu para um ponto a diferença: 19/20. Não foi suficiente. Com grande atuação de Mara, Bia e Jaqueline, Osasco empatou o jogo após fazer 25/23 no set.

Mais ligado, o Sesc RJ logo abriu 6 a 2 com Amanda, em grande noite, virando mais uma bola. Mas não durou muito. Jaqueline fez dois grandes bloqueios e diminuiu a diferença para 7/6.

Com Yonkaira e Amanda comandando o ataque, e o Sesc com atenção nos detalhes o Rio fechou o set.

Como sempre, o equilíbrio foi dominante no início do set. Milka virou o ataque de xeque quando o placar estava igual em 5/5. Porém, o equilíbrio logo acabava quando Yonkaira e Amanda desequilibravam no ataque. O Rio fez 11/8 com Yonkaira e Juciely virou no 14/13.

Momento para cena inusitada de Juciely, exausta, descansando na troca com a líbero. Jucy foi flagrada por nossa equipe sentada ao chão quando o placar era favorável para o Sesc RJ: 18/16

O set estava pegando fogo e a torcida carioca inflamou o ginásio. Deu certo, pois Drussyla explorou o bloqueio e fechou o set em 25/23 e o jogo em 3 sets a 1.

Drussyla comemorando o ponto final da partida – Foto: Vinicius Lima

Quem tem a boca maior engole o outro

Sempre irreverente nas palavras, a central Mara, destaque de sua equipe na partida com 15 pontos, falou com nossa equipe no pós jogo e citou o espetáculo que é o clássico Rio x Osasco.

“Sempre é um espetáculo muito bonito, são dois times grandes. Quem tem a boca maior engole o outro e é assim que funciona num clássico como esse. Eu fico muito feliz pelo jogo de hoje porque a gente veio de uma derrota muito sofrida e uma semana muito complicada. Perdemos, mas demos alguns passinhos, evoluímos um pouco”, destacou a mineira Mara, antes de completar.

“Arbitragem não vou comentar. Dois cartões vermelhos não significam nada, nós tivemos muitas chances no set. A arbitragem que durma com sua consciência. Não foi desculpa, não posso falar palavrão”, comentou a central.

Próxima rodada

O Sesc RJ volta a jogar na próxima sexta-feira (14), contra o Praia Clube, líder da competição. A partida será às 20h30 e contará com transmissão ao vivo do Globoesporte.com. A torcida deve lotar novamente o Tijuca Tênis Clube. No dia seguinte, sábado (15), é a vez do Osasco entrar em quadra. Elas enfrentam o Sesi/Bauru, ás 19h, no ginásio Jose Liberatti. Ambas as partidas serão válidas pela sexta rodada do returno.

Por: Danilo Goes e Estevão Júlio | Vinícius Lima

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram