Apito Copeiro – Gols contra na Libertadores

Fogo amigo: 60ª edição da Libertadores registra recorde de gols contra

Já dizia Dadá Maravilha: “Não existe gol feio. Feio é não fazer gol.” A frase até estaria correta, se não existisse o gol contra. Apesar de não ser natural, o gol contra está presente em muitas partidas pelo mundo e na Libertadores não é diferente. A 60ª edição de “La Glória Eterna” está entrando para a história com um recorde negativo, o de maior quantidade de gols contra desde o novo formato.

Leia Também: Comitê organizador decide os participantes dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019

A Copa Libertadores passou por constantes mudanças ao longo dos anos, a última em 2017. Entre elas, estendeu o calendário durante todo o ano, ampliou o número de equipes por país, determinou a “final única” a partir de 2019 e proibiu a participação das equipes em duas competições simultâneas da Conmebol: A Libertadores e a Sul-americana. Todas as alterações provocaram a saída das equipes mexicanas, que se sentiram lesadas com número reduzido de vagas no país.

A nova configuração da competição internacional trouxe consigo o aumento nas estatísticas de auto-gol, o número que nas três edições anteriores (2014, 2015, 2016) apontavam a média de 6,66 por edição subiu para 9,33 nas últimas três (2017, 2018, 2019[1]). Coincidência ou não, o número cresceu após a saída das equipes mexicanas, que somando as edições citadas marcaram apenas um gol contra, do Santos Laguna, em 2014.

Gráfico mostra quantidade de gols contra nas últimas seis edições da Libertadores
Tabela com todos os gols contra em cada edição.

Recorde Negativo

O time líder, no quesito negativo, é o San José de Oruro. Os bolivianos marcaram incríveis quatro gols contra, todos em 2019. A equipe é a mais vazada na copa, com 19 gols sofridos em seis partidas. Outro recorde negativo que vem de Oruro tem como detentor o zagueiro César Mena, por marcar duas vezes contra a própria rede em um mesmo jogo, e três vezes nesta libertadores. (O defensor marcou dois tentos para o adversário no jogo contra a LDU, que terminou empatado por 3×3. E mais um gol, na vitória do time Santo sobre o Peñarol por 3×1).

Zagueiro Cesar Mena, do San José, é líder no quesito de gols contra. (Foto: APG)

Gols Decisivos

Uma das grandes decepções no futebol é quando um jogador vai de herói a vilão na mesma partida, pior é quando ele se torna o vilão sem nem mesmo passar pelo status de herói. O caso aconteceu com Nestor Duarte, em 2014, o jogador peruano atuava pelo Universitário, do Peru, quando marcou um “gol contra” a favor do Athletico Paranaense. A partida terminou com vitória rubro-negra por 1×0. Outro caso semelhante aconteceu em 2015, quando o lateral Geferson, à época jogador do Internacional, marcou contra, na semifinal da Libertadores. A partida ainda teve outros gols, mas este foi decisivo, pois o adversário avançou à final por um gol de diferença.

Geferson desaba após gol contra na semifinal.

Por falar em gols decisivos, dos 48 auto-gols desde a edição de 2014, cinco deles foram marcados nas fases finais, sendo o mais recente na final histórica entre Boca Juniors e River Plate. O gol feito por Izquierdoz, jogador boquense, além de empatar a partida de ida por 2×2, renovou os ânimos da equipe millonária, que conquistou o título.

A atual Copa Libertadores está chegando em sua fase decisiva, e já entra para a história como a edição em que o fogo amigo se fez mais presente! “Mayday!, Mayday!”.

Foto de destaque: Site TN

Por: Lucas Sousa e Erick Viana

A edição da Copa Libertadores de América de 2019 ainda está em andamento, portanto a média pode aumentar com o decorrer das partidas na competição.

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram