Em entrevista, Felício projeta Mundial, deseja sorte aos brasileiros no Draft e fala sobre seu desempenho na NBA

Em sessão de autógrafos, o pivô que atua no Chicago Bulls falou sobre temas importantes envolvendo o Mundial da China e abordou o momento atual do basquete brasileiro

 

Cristiano Felício, pivô que atua pelo Chicago Bulls na NBA, esteve em celebração na loja NBA Store, no Barra Shopping, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro na última quarta-feira (8/5).

Além de distribuir autógrafos, falou abertamente à imprensa. Na ocasião, Felício elogiou o treinador Petrovic, cita o Botafogo como uma grande surpresa. E afirmou que o time alvinegro dará muito trabalho ao Flamengo. O jogador de 26 anos também disse ter acompanhado alguns dos principais brasileiros selecionados no Draft da NBA, e falou sobre o seu desempenho pessoal na última temporada.

A equipe do Tabela Carioca também marcou presença no evento. Demais veículos de comunicação como Lance, Grupo Globo, SBT, e TV PUC-Rio também estiveram para realizar a entrevista com o basquetebolista.

 

Confira os detalhes da entrevista com o Cristiano Felício:

 

Conversa com Petrovic e expectativas para o Mundial de basquete na china

Sim, saiu em algumas redes sociais, né? Ele se encontrou comigo, com o Raul, falou com o Bruno. E foi uma conversa muito bacana porque ele é um cara que quer mudar o basquete brasileiro, é um cara que tem uma visão incrível para o basquete brasileiro, vem fazendo um trabalho bom. A gente está muito animado para este Mundial. A gente acredita que tem uma boa equipe, que possa passar da fase de grupos e ir longe neste Mundial. A gente vai vir para a seleção focado nisso para fazer um grande Mundial.

 

Diferenças na preparação dos atletas tendo em vista o Mundial e grupo difícil do Brasil

Acredito que não muda muito na preparação do jogador, porque a gente se prepara para a temporada num período mais longo e desta vez, sendo um período mais curto, a gente consegue estar mais focado, treinar até um pouco mais para chegar na seleção bem. É isso o que está todo o mundo fazendo, é isso o que eu estou fazendo, tentando chegar com ritmo para a seleção porque a gente sabe que não vai ter muito tempo de treino. E acredito que é uma competição muito dura, acredito que todos os grupos do Campeonato Mundial são muito fortes, assim como o grupo do Brasil, mas acredito que a gente possa jogar de igual para igual com qualquer seleção.

 

Consolidação do NBB

Acredito que o NBB vem crescendo a cada ano. Não só em termos de visibilidade, mas também dentro de quadra. Muitos jogadores de nível estão ali, como a gente viu, Varejão voltando, Leandrinho voltando. Mas, muitos jogadores bons que já estavam aqui, e acredito que isso aumenta muito o nível da competição. Agora a gente vê chegar a equipe do Botafogo que, acredito que ninguém imaginava que iria chegar a uma semifinal e isso demonstra o quanto o NBB vem crescendo e, acredito que nos próximos anos crescerá ainda mais.

 

O trabalho realizado no Botafogo pelo técnico Léo Figueiró chamou a sua atenção?

Sim, com certeza, como eu vinha dizendo, ninguém acreditava que o Botafogo fosse chegar, mas jogaram com muita garra e inteligentemente e conseguiram chegar a uma semifinal com o Flamengo que tem muita tradição, mas acredito que eles vão jogar ainda melhor e vão dar muito trabalho para o Flamengo.

 

Brasileiros inscritos no Draft da NBA: dentre os principais, Túlio, Yago e Didi

Sim, eu acompanhei mais o Túlio e o Yago que joga no Paulistano. O Didi cheguei a ver um pouco, alguns lances. São jogadores que sim, podem estar na NBA, eles têm talento para isso. Agora, é ir para os Estados Unidos, fazer os treinos da melhor maneira possível, mostrar para eles, treinadores e franquia que eles podem estar lá. Desejo toda a sorte do mundo a eles e que consigam entrar na NBA.

 

Baixa em número de jogadores brasileiros na NBA

Difícil falar, porque vai muito do que uma franquia precisa. Tem o Draft também e/ou outros contratos que eles assinam e, essas franquias não optaram por outros jogadores que não são os brasileiros. Tem o Splitter que se aposentou recentemente, aumentando essa baixa aí, mas acredito que os brasileiros que estiveram na NBA fizeram bons trabalhos, e nós que ainda estamos lá seguimos fazendo bons trabalhos. Os que saíram seguem bem, na Europa ou no Brasil. Estar ou não na NBA não quer dizer muita coisa. Sei que todos querem estar lá, mas, você pode fazer um trabalho excepcional, independente de onde você esteja.

 

Baixa em números pessoais e temporada no Chicago Bulls

Acredito que para que um jogador esteja melhorando, ele tem de estar dentro de quadra e, eu não consegui muito nesta temporada, até porque tinham muitos jogadores na minha posição, mas vou estar treinando bastante, batalhando bastante para chegar ao ano que vem bem e mostrar a eles que tenho condições de estar dentro de quadra. E estando dentro de quadra fica tudo mais fácil, os números melhoram e tudo melhora. Então, acho que isso seja um diferencial para que os meus números tenham caído um pouco em relação ao ano passado.

 

 

Por: Vinicius Lima  |  Foto de destaque: Vinicius Lima / Futura Press

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram